Iporá : Lavrador cadeirante é aposentado em casa

04-iporajoao2Ao invés de ir ao fórum para realizar perícia e audiência, João Correia Paes recebeu em sua casa, na tarde desta quarta-feira (4), o juiz Rodrigo de Melo Brustolin. A cozinha da residência se transformou em sala de audiência. Além do magistrado, estavam a procuradora do INSS, advogada e a médica-perita.
A audiência de João foi marcada para hoje, mas por problemas de saúde, ele ficou impossibilitado de comparecer. A casa fica no Setor Arco-Íris, em Iporá, há quase 10 quilômetros do fórum, e para ir ao local, ele precisaria de chamar um táxi. João Correia, de 54 anos, tem hanseníase e há dois anos sofreu um acidente vascular cerebral (AVC). “Minha vida mudou, antes eu fazia tudo e agora não posso nem andar. Tenho vergonha de ter ficado assim. Eu era independente”, lamentou.
Depois da audiência, João falou da satisfação de receber a equipe em sua casa. “Eu só tenho a agradecer. Não estou acreditando que vocês vieram aqui e ainda me aposentaram. Não esperava um juiz da minha residência”, afirmou. Ele contou ainda que mora com a esposa e duas filhas e a renda mensal da família é de R$ 900. “Minha mulher é diarista e minha filha mais velha é vendedora”, relatou. De acordo com ele, o benefício que passará a receber daqui alguns dias ajudará muito. “Vou comprar remédio, ajudar nas despesas de casa e das minhas filhas”.
Apesar de estar incapacitado para o trabalho, João diz que a partir de agora é vida nova. Ele garantiu que vai deixar de ter vergonha e tentará viver uma vida normal, mesmo usando a cadeia de rodas. “É muito difícil um pai de família se ver nessa situação, mas vou superar”, destacou.
Advogando há 6 anos na comarca de Iporá, Fernanda Cristina Silva Teodoro disse que nunca viu uma equipe composta por juiz, procurador e médico-perito se descolar até a casa do cliente para a realização da audiência. “Lá no fórum estão sendo feitas mais de 80 audiências e mesmo assim eles não mediram esforços para estarem na casa de seu João. Isso é o que eu chamo de Justiça”, ressaltou.
Balanço parcial
Em apenas dois dias do Projeto Acelerar – Mutirão Previdenciário, que acontece nesta semana em Iporá, cerca de 253 processos foram resolvidos de forma definitiva, com sentença. Foram também realizadas 259 audiências, com a concessão de 198 benefícios, o equivalente a R$ 2.349.730,76. O balanço parcial dos trabalhos, que termina nesta quinta-feira (5), foi divulgado pelo Núcleo Previdenciário do Projeto Acelerar do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO). (Texto: Ariane Lopes / Fotos: Aline Caetano – Centro de Comunicação Social do TJGO)